O que é tempo de cozimento e como otimizá-lo? Entenda

8 minutos para ler

Você já planejou um excelente jantar para a sua família e, quando viu, ele demorou mais do que você esperava para ficar pronto? Pois é, muitas vezes esquecemos de considerar o tempo de cozimento e demoramos mais para preparar uma receita especial, fazendo com que o jantar se atrase.

No entanto, quando você analisa o período de cozimento de cada alimento, você otimiza o seu trabalho na cozinha e prepara os alimentos com mais rapidez, sem perder os principais nutrientes e mantendo um paladar refinado no seu dia a dia.

Pensando em ajudá-lo a aproveitar o seu momento culinário, nós desenvolvemos este artigo com as principais dicas para otimizar o período de cocção. Boa leitura!

O que é tempo de cozimento?

Para entender como melhorar a cocção de alimentos, é necessário compreender o que ela é e como ela pode ser útil no seu dia a dia. O tempo de cozimento, como o próprio nome aponta, é período que determinado alimento leva para ser cozido, isto é, estar pronto para consumo.

Por exemplo, se você for produzir um purê de batata, precisa cozinhá-las para que fiquem soltas ao ponto de serem amassadas com facilidade. Nesse sentido, a cocção nada mais é do que o período que o próprio vegetal leva para ficar pronto.

Acontece que, ele depende de muitas variáveis — além do tipo de legume, vegetal ou proteína que está sendo preparado. Em outras palavras, não é só a comida que determina o período em que ela ficará pronta, a qualidade do fogão, o nível da chama, a panela utilizada e o objetivo da receita também interferem na cocção.

Retornando ao exemplo citado, a preparação de um purê exige que a batata fique bem cozida para ser amassada com facilidade. Justamente por isso, você terá que separar um tempo maior para deixá-la no ponto certo de cozimento. Por outro lado, se você pretende montar uma salada de batata para um churrasco, deverá deixá-la al dente.

Por que ele varia entre os alimentos?

Você já deve ter percebido que cada alimento apresenta um tempo certo para ficar pronto, não é mesmo? Isso acontece em função de diversos fatores que já citamos no tópico anterior: tipo de fogão, nível da chama, qualidade da panela e o alimento propriamente dito.

Mas, afinal, por que isso acontece? Cada alimento apresenta a sua própria estrutura molecular: enquanto alguns são mais porosos, outros são mais rígidos e impenetráveis. Além disso, cada um tem uma quantidade de fibras e minerais que são mais ou menos adeptos a água.

Todas essas especificidades interferem diretamente na duração do preparo, ainda que existam métodos de cocção que não utilizam água, como o cozimento a vapor. Nesse sentido, cada alimento responde de uma forma diferente ao processo de cocção, apresentando seu tempo singular de preparo.

Não é à toa que a culinária estabelece uma média de cozimento para cada alimento, facilitando a preparação das receitas e otimizando a sua estadia na cozinha. Para facilitar a compreensão, listamos a seguir os principais para você. Confira!

  • abóbora na água: entre 20 a 25 minutos, e no vapor entre 25 e 30 minutos;
  • abobrinha na água: entre 15 e 20 minutos, e no vapor entre 20 e 25 minutos;
  • batata na água: entre 25 e 35 minutos, e no vapor entre 30 e 45 minutos;
  • brócolis na água: entre oito e 20 minutos, e no valor entre 15 e 20 minutos;
  • cenoura na água: entre 15 e 25 minutos, e no vapor entre 20 e 30 minutos;
  • chuchu na água: entre 10 e 15 minutos, e no vapor entre 15 e 20 minutos;
  • feijão na água: entre 60 e 120 minutos, e na pressão entre 30 e 40 minutos;
  • mandioca na água: entre 15 e 20 minutos, e no vapor apresenta uma média de 20 minutos;
  • milho verde na água: entre cinco e 10 minutos, e no vapor entre 10 e 15 minutos.

Como ele é influenciado por outros elementos?

Até agora, você pôde perceber que os métodos de cocção são influenciados por outros elementos, não é mesmo? Afinal, não basta o vegetal ou legume ter mais ou menos porosidade, para diminuir o tempo de cozimento é necessário utilizar os utensílios certos.

Vamos pensar juntos: atualmente, existem diversos tipos de panela disponíveis para aquisição. Embora elas apresentam uma estética elegante e tragam um novo charme para a sua cozinha, a sua variedade não serve somente para isso. Na maioria das vezes, cada panela tem uma funcionalidade específica que facilita o seu trabalho.

Isso quer dizer que cada tipo de panela é desenvolvido a partir de um objetivo específico. Por exemplo, para fritar um ovo, você não precisa utilizar uma panela de ferro, certo? Basta colocá-lo na frigideira para ela desempenhar o seu papel. Ainda que o exemplo seja simples, a lógica é a mesma para todos os outros alimentos.

Nesse sentido, se você pretende fazer um jantar com frutos do mar, apresentando um ensopado de peixe como prato principal, o mais indicado é utilizar uma panela de barro que, além de manter o calor por mais tempo, fornece um gosto especial para o peixe.

Vale lembrar que cada material conduz o calor de maneira diferente, sendo mais ou menos eficiente. Assim, é fundamental prestar atenção no tipo de panela que você está utilizando para otimizar o seu período na cozinha e preparar o alimento com mais facilidade.

Além disso, a panela não é o único elemento que influencia no tempo de cocção, o tipo de fogão que você utiliza também interfere na rapidez do cozimento. A seguir, você pode conferir como que cada objeto atua na preparação de uma boa receita, encontrando as melhores formas para cozinhar com qualidade.

Panelas de cerâmica

As panelas de cerâmica se tornaram uma grande tendência culinária. Isso porque elas são atóxicas e conservam o calor com eficiência, sendo excelentes utensílios para cocções demoradas, pois mantém o alimento cozinhando por mais tempo.

Vale lembrar, no entanto, a importância de conferir o certificado de atoxidade, assegurando que nenhuma substância nociva será liberada ao entrar em contato com o calor.

Panelas de inox

As panelas de inox, quando foram lançadas, geraram muitas divergências no universo culinário. Muitos acreditavam que ela contaminava os alimentos com elementos tóxicos, além de aumentar a probabilidade de queimaduras na cozinha. Acontece que isso não ocorre hoje em dia, já que existem certificados que garantem a não emissão de substâncias nocivas.

No entanto, em função do inox conduzir calor com muita facilidade, a dica para cozinhar com segurança e praticidade é lançar mão do fogo baixo, optando por utilizá-la na preparação de frituras.

Panela de titânio

As panelas de titânio são as mais utilizadas pelos especialistas e profissionais da área, justamente por serem muito leves e resistentes, e não oferecerem nenhum risco de contaminação. Além disso, a maioria é antiaderente e facilita tanto o processo de cocção, quanto a limpeza após o uso.

Se você tem o hábito de fritar e grelhar alimentos com pouco óleo, não tenha medo de investir nessa panela. Afinal, ela apresenta uma boa condução do calor, otimizando o seu período na cozinha.

Fogões com sistema de convecção

Você lembra que comentamos que as panelas não são os únicos elementos que interferem na cocção? Pois é, é preciso prestar atenção em relação ao tipo de fogão que você utiliza para ter uma boa otimização da duração de preparo do alimento.

Hoje em dia, uma das tecnologias que mais se destacam no mercado é a de convecção, integrada aos fogões para preparar os alimentos de maneira uniforme ao mesmo tempo em que reduz o seu período de cozimento.

Isso acontece porque esse sistema permite que o calor envolva toda a panela, em vez de irradiar a chama somente no centro. Assim, você não precisa utilizar uma alta temperatura para cozinhar, considerando que o calor é distribuído uniformemente.

E mais, hoje em dia existem produtos qualificados no mercado que oferecem um sistema de convecção no forno, que utiliza a mesma tecnologia apresentada. Nesse sentido, o calor também é distribuído uniformemente e possibilita o preparo de duas receitas de forma simultânea, reduzindo o seu tempo na cozinha.

Você percebe a importância de conhecer o tempo de cozimento para preparar uma boa receita e, ainda, otimizar a sua estadia na cozinha? Lembre-se de conferir cada alimento e o seu período de preparo específico, além de considerar os elementos utilizados para ter um método de cocção eficiente.

E então, o que achou do nosso artigo? Quer encontrar mais conteúdos como esses? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receba os conteúdos mais recentes no seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário