7 dicas fundamentais para o seu planejamento financeiro familiar

6 minutos para ler

As coisas andam difíceis e o dinheiro nunca é suficiente para suprir as demandas básicas da casa e colocar aqueles projetos antigos em andamento? Com um bom planejamento financeiro familiar é possível deixar tudo — ou grande parte das coisas — nos eixos.

Podemos dizer que o grande segredo da segurança e da estabilidade de qualquer pessoa é a organização financeira. Infelizmente, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio, mais de 60% das famílias brasileiras estão endividadas. Será que você faz parte dessa estatística?

Para sair dessa condição ou nem mesmo entrar nela é fundamental desenvolver uma educação financeira familiar. Embora não haja uma fórmula mágica para realizar o planejamento perfeito, é possível seguir algumas dicas que certamente direcionarão suas ações para o tão sonhado equilíbrio do orçamento familiar. Vamos conferir quais são elas?

1. Tenha objetivos claros

Para tudo nessa vida é necessário ter um mínimo de objetividade a fim de que as coisas realmente aconteçam. Em se tratando de finanças, não adianta apenas querer economizar dinheiro, quitar as dívidas ou parar de gastar muito — quais são, afinal, seus reais objetivos?

Existem alguns exemplos que podem ajudar, como é o caso de uma reforma na casa, economizar para a faculdade dos filhos ou até mesmo planejar aquelas férias em família. Determine o que você realmente deseja e divida essas metas em curto, médio e longo prazos. Não se esqueça também de definir quais são as pequenas ações que farão você chegar até ao topo: é de degrau em degrau que a gente avança!

2. Anote todas as suas despesas

Com tudo mais claro em mente é hora de fazer anotações. Portanto, coloque na ponta do lápis todas as suas despesas, mapeando os ganhos e os gastos de todos os membros da família.

Se você preferir, a praticidade das ferramentas online e de alguns aplicativos e planilhas deixarão a tarefa mais simples e otimizada. Ao fazer essa listagem — que depois pode ser dividida por categorias — você vai se surpreender com determinadas despesas, que antes pareciam inofensivas.

3. Divida das despesas fixas das variáveis

Como já dissemos, é importante também organizar os tipos de despesas. As fixas são aquelas que todo mês estão de volta: água, luz, telefone, internet, algum seguro, transporte, mensalidades escolares etc. Logo, cuide para que elas nunca sejam comprometidas!

O que mais pode prejudicar o orçamento familiar nesse sentido são as despesas variáveis, pois elas estão relacionadas ao lazer, ao vestuário, à aquisição de novos eletrônicos, e a imprevistos como reparos e consertos em geral.

É claro que não é para cortar todas essas variantes, pois elas também são importantes para a qualidade de vida de todos. Contudo, não dá para extrapolar e comprometer as necessidades básicas, como alimentação e moradia, para inflar os gastos com lanches diários na rua ou compras compulsivas, por exemplo. A partir daí, pondere o que pode ser reduzido ou cortado.

4. Delimite a contribuição individual da família

Muitas casas não contam com uma educação financeira familiar e todas as contas pesam apenas para uma pessoa — geralmente quem ganha mais. No entanto, para que a família prospere, todos devem colaborar. Será que não seria possível que todos contribuíssem de alguma forma, proporcionalmente ao que recebem por mês?

Por isso conhecer a renda familiar total é fundamental para analisar e determinar até onde devem ir os gastos, tanto nas despesas fixas quanto nas variáveis, como já aprendemos. Para tal, converse com todos e anote não só os ganhos, mas os gastos de cada membro, a fim de que o orçamento familiar seja equilibrado entre todos.

5. Centralize os métodos de pagamento da família

Junto à conversa sobre a distribuição das responsabilidades financeiras de cada um, também é importante definir um método de pagamento para todas as despesas da casa ou pessoais. Se o maior problema é o cartão de crédito — um dos maiores vilões do endividamento no Brasil — é melhor “cortar o mal pela raiz” e adotar apenas o pagamento à vista, sempre que possível.

Além de evitar dívidas que viram uma bola de neve e faturas que nunca fecham, ao fugir de parcelas você ainda pode conseguir bons descontos no preço final tanto de produtos quanto de serviços.

6. Tenha uma reserva de emergência

Você tem o hábito de guardar dinheiro no cofrinho? Brincadeiras à parte, é fato que pessoas de sucesso financeiro são aquelas que sabem poupar. Por isso é tão importante guardar uma quantia mensal, para que a família tenha, no mínimo, uma reserva de emergência.

Quem vive como se não houvesse amanhã corre um sério risco de estar sujeito a imprevistos e nada poder fazer diante disso. Então, o objetivo é ter sempre uma quantia guardada para cobrir gastos eventuais que surgem fora do seu planejamento financeiro familiar, como uma doença, um conserto no carro, a perda do emprego, entre outros.

Além de economizar e ter essa tranquilidade financeira, a reserva pode se multiplicar quando feita em forma de poupança ou até mesmo em outras maneiras de investimento. O importante é manter o orçamento familiar saudável e sem comprometimentos.

7. Realize compras online

Uma maneira simples de manter a organização financeira em dia é realizando compras pela internet. Sim, não estamos confundindo as coisas! Devemos saber aproveitar ao máximo a praticidade de se poder calcular o orçamento e comparar preços sem precisar sair de casa, mesmo quando estamos comprando.

Pesquisar o que você deseja na internet e fazer a compra online poupa não só tempo, como dinheiro e amplia seu leque de opções e possibilidades. E quando o assunto é planejamento financeiro familiar, isso é muito bem-vindo, não é mesmo?

Ademais, não se esqueça de que todas as dicas abordadas neste post são de extrema importância para que a educação financeira familiar da sua casa prospere. Como dissemos no início, não é uma fórmula mágica, mas é o passo inicial para o conforto, a segurança e o bem-estar de todos!

E então, que tal aproveitar o assunto sobre planejamento financeiro familiar para saber mais sobre as compras na internet? Veja por que comprar online pode ser mais vantajoso!

Posts relacionados

Deixe um comentário